R. Luiz Leopoldo Fernandes Pinheiro, 528 Lj. 02 - Centro - Niterói/RJ - Brasil - Cep 24030 - 121
Nossos telefones: (21) 2622-1122 /  DISK COTAÇÃO: 0800 - 3001122
  • Facebook Social Icon

Dicas de gastronomia em Buenos Aires!!!

January 10, 2018

 

É verdade: comer em Buenos Aires não está mais tão baratinho como há 10 anos. Mas não perca a oportunidade de fazer da sua passagem pela cidade uma descoberta gastronômica. Buenos Aires é uma das cidades onde melhor se come no mundo. Há novos restaurantes a cada temporada (em Palermo, principalmente), e o charme de antigamente se conserva em cafés onde o tempo parece que se esqueceu de passar.

 

1. O churrasco argentino

Nada como um ojo de bife jugoso acompanhado de papas fritas e ensalada mixta. Veja a nossa seleção de 5 parrillas especiais em Buenos Aires, com dicas sobre os cortes típicos argentinos, como pedir o ponto da carne e mais.

 

2. A empanada

Assada ou frita, pode ter diversos recheios. Queijo com cebola, carne picante e milho ('choclo') são alguns dos melhores.

 

3. O doce de leite

Mais escurinho e menos doce que no Brasil, recheia uma das melhores sobremesas que você pode comer na sua viagem: panqueques de dulce de leche.

 

4. O sorvete

Ultra cremoso, só deve perder para os italianos. Não dá para resistir a um heladoem Buenos Aires nem nos meses de inverno. Para casquinha, peça 'cucurucho'. Freddo, Persicco, Un'Altra Volta, Jauja e Tufic são algumas das melhores sorveterias de Buenos Aires.

 

5. A fugazzeta

Na versão argentina, a pizza tem massa bem alta e muito, muito queijo. Especialmente a fugazzeta, que, ainda por cima, é recheada de mais mussarela.

 

6. O alfajor

Uma espécie de sanduíche de biscoito, recheado de doce de leite e coberto por chocolate, mas que pode ter muitas outras variações. Aproveite para fazer o seu próprio tira-teima entre os alfajores Havanna e Cachafaz, os mais famosos. Nos kioscos e supermercados, a oferta de marcas e sabores de alfajor tende a infinito. (Atenção: a pronúncia é alfarrôr.)

 

7. O choripán

Sanduíche de pão com lingüiça, autêntica comida de rua em Buenos Aires que agora tem até restaurante em Palermo.

 

8. A limonada

Quando quiser variar do malbec, peça a versão super refrescante da bebida, que em Buenos Aires leva gengibre e hortelã.

 

9. O pan de miga

O pão de forma bem fininho é usado em sanduíches frios e também nos tradicionais tostados, um clássico dos cafés notables de Buenos Aires.

 

4. A milanesa

Para comer com papas fritas ou recheando um sanduíche (sim, sanduíche de bife à milanesa; como não pensamos nisso antes?).

 

Reservar ou não reservar?

Reservar é recomendável, sobretudo nas churrascarias, onde a fila de espera pode passar fácil de uma hora. E imprescindível nos restaurantes 'de autor', com menu em vários passos. Vários restaurantes já oferecem reservas online; muitos usam o site Restorando. Você também pode pedir na recepção do seu hotel que façam a reserva para você, por telefone.

 

Dinheiro ou cartão?
Alguns restaurantes ainda não aceitam cartão, apenas efectivo (dinheiro vivo). Para se certificar, pergunte: 'se accepta tarjeta de crédito/débito?'. Não é comum que dólares ou reais sejam aceitos para pagamento. (Isso acontecia na época do câmbio paralelo, agora não mais.) Pague com pesos argentinos.
 
Vinho pode ser mais em conta que Coca

A grande reclamação dos brasileiros em restaurantes de Buenos Aires é o preço da água mineral, do refrigerante e especialmente do cafezinho, itens que custam muitíssimo mais que no Brasil. Em compensação, o vinho é ótimo e relativamente barato, porque não incidem impostos.

 

Jantar em casa de tango? Evite

Não vale a pena pagar pelo jantar oferecido pelas casas de tango: é sempre caro e de qualidade, na melhor das hipóteses, mediana. Aproveite que os shows começam tarde e se organize para jantar antes do espetáculo em algum bom restaurante.

 

Horários

Argentinos comem super tarde, a partir das 21h. Para evitar o horário do 'rush' nos restaurantes, vá mais cedo.

Sempre confira os horários de funcionamento antes de sair do hotel. Alguns restaurantes abrem só para jantar. Vários fecham às segundas-feiras. Alguns outros, aos domingos. A melhor pedida para as segundas são as parrillas mais famosas, como  a La Cabrera Norte, a Don Julio e a Fervor, que abrem diariamente e estarão menos cheias do que no final de semana.

 

O tal do cubierto

A cobrança do cubierto em Buenos Aires sempre causa surpresa ao turista estrangeiro. O cubierto é um valor que se cobra por pessoa, varia de restaurante para restaurante, vem incluso na notinha e não corresponde à gorjeta do garçom. No geral, entende-se que o cubierto corresponde a uma taxa pelo serviço de mesa (cesta de pães, louça, toalha, guardanapos, e o próprio 'cubierto', que quer dizer 'talheres' em castelhano). Recentemente, uma lei tentou determinar alguns itens obrigatórios que o restaurante deve oferecer para cobrar o cubierto, como um copo de água por cliente, sal livre de potássio e opção de pão para celíacos. Mas isso não parece ter vingado.

Restaurantes mais informais, cafés e lanchonetes não costumam cobrar cubierto. Outros restaurantes também não cobram cubierto se você senta no balcão em vez de ocupar uma mesa. Mas nada é regra. Espere pagar entre 40 e 60 pesos por pessoa de cubierto nos restaurantes que fizerem essa cobrança. Recusar os pãezinhos no início da refeição não impede que a taxa seja incluída na conta.

 

A propina

A propina, sim, é a gorjeta do garçom. Não é obrigatória e não vem discriminada na notinha, mas é sempre bem-vindo deixar 10% do valor da conta, em dinheiro.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

January 31, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload